Arquivos Mensais: novembro \26\UTC 2012

Votação do Marco Civil da Internet emperra na Câmara dos Deputados

NÁDIA GUERLENDA

ERICH DECAT DE BRASÍLIA

Decidir quem pode saber por onde você navegou pela internet; se seu plano contratado permitirá o uso de Skype ou ainda quem deve ser punido por postagens abusivas.

Esses temas são alvo de debate entre os 513 engravatados eleitos na Câmara, que tentam há mais de duas semanas colocar no papel as respostas para essas e outras questões. Da discussão nascerá a “Constituição do mundo moderno”, a da internet.

Só não há previsão de quando isso acontecerá. Na última semana, a votação do Marco Civil da Internet foi adiada pela terceira vez no plenário da Câmara.

Yuri Gonzaga – 5.jul.2012/Folhapress
O deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ), relator do Marco Civil, em fórum de discussões sobre o projeto
O deputado federal Alessandro Molon (PT-RJ), relator do Marco Civil, em fórum de discussões sobre o projeto

À exceção do PT, que relata o projeto, todos os partidos obstruíram a pauta, impedindo a discussão. “Ainda que haja discordância, não dá para deixar de votar o projeto inteiro por causa de um artigo”, afirma o relator do texto, Alessandro Molon (PT-RJ).

O deputado se refere ao ponto mais polêmico no projeto: a neutralidade da rede. Pelo texto de Molon, o provedor de conexão –que liga o usuário à internet– fica proibido de diferenciar o conteúdo que trafega na web.

Defensores da neutralidade afirmam que isso é necessário para evitar a criação de “pacotes” de internet fechados, no qual o usuário acessa sites e e-mails, mas não baixa arquivos ou usa o Skype, por exemplo.

Outra hipótese seria o provedor de conexão favorecer o acesso a sites que paguem uma taxa. “Se eu tento acessar um site e ele demora para carregar, eu vou buscar outro. Isso acaba com a liberdade de escolha na rede”, argumenta o deputado Molon.

Reinaldo Ferrigno-27.set.2011/Agência Câmara
O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que se opõe ao artigo que define a neutralidade na rede
O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), opositor do artigo do Marco Civil da Internet que define a neutralidade na rede

Para Eduardo Levy, diretor executivo do Sinditelebrasil (que representa as empresas do setor), a diferenciação é necessária ao mercado. “Se não, estamos prejudicando a maioria dos cidadãos que podem querer serviços mais simples ou mais sofisticados”, afirma Levy.

Eduardo Cunha (PMDB-RJ), um dos maiores opositores ao texto, concorda: “Vai acabar todo mundo pagando mais caro por um serviço que só vai interessar a poucos”.

Já o deputado Ricardo Izar (PSD-SP) defende que se alcance a neutralidade “gradualmente”. Ele afirma que, segundo as teles, uma rede 100% neutra custa R$ 250 bilhões. “Esse valor vai ser repassado ao consumidor. Tem que dar um prazo maior para o investimento, para não encarecer o serviço”, afirma.

GUARDA DE DADOS

A guarda dos dados de acesso a conteúdo também esquenta o debate no Congresso. Esses dados mostram a movimentação do usuário na internet –por quais sites passou, que aplicativos usou.

O texto de Molon estabelece que os provedores de conexão estão proibidos de guardar esses dados. Já para os provedores de conteúdo (sites, portais, aplicativos), a guarda é facultativa.

“O provedor de conexão já tem meus dados de conexão, que mostram quem eu sou e qual é o meu IP [o ‘CEP virtual’ do usuário]. Se ele também souber o que eu faço na internet, acaba minha privacidade”, afirma Molon.

As teles veem “quebra da isonomia” entre os provedores. “O benefício se volta para os provedores de conteúdo, que muitas vezes utilizam os dados para ter informações sobre a sua navegação. Ou todos podem guardar ou ninguém pode”, diz Levy.

E ainda há quem queira, como Izar, Sandro Alex (PPS-PR) e Eduardo Azeredo (PSDB-MG), que a guarda dos dados seja obrigatória aos provedores de conteúdo, para auxiliar em inquéritos criminais.

“Isso pressupõe que todos são culpados. Seria o mesmo que aceitar que todos os telefones devam ser grampeados, porque, quando alguém cometer um crime, será mais fácil investigar”, diz Molon.

Diante de tanta divergência, diminuem as esperanças de um acordo ainda neste ano. Para Eduardo Cunha, a votação do Marco Civil está sendo “apressada”.

Ele diz que o melhor seria esperar a Conferência Mundial de Telecomunicações, em Dubai, em dezembro. “Por que antecipar a votação, sem esperar para ver o que o resto do mundo vai fazer?”

Colaborou JULIA BORBA, de Brasília

+ Livraria

Ibraim é o Novo Secretário da Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SDPD) da Cidade de Barueri/SP

Acabamos de receber a Notícia que Ibraim é o Novo Secretário dos Direitos da Pessoa com Deficiência(SDPD) da cidade de Barueri no Governo que iniciará a partir do Dia 01 de Janeiro de 2013 do Prefeito Eleito de Barueri Gil Arantes.

Ibraim com o Senador Aloísio Nunes, José Serra sua esposa Mônica Serra e Governador de São Paulo Geraldo Alckmin. Campanha de 2010 – Foto de Junior Holanda – Agosto.2010

 

Governador do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin com novo Secretário da Pessoa com Deficiência da Cidade de Barueri/SP e Leandro do KLB . Foto de Junior Holanda Agosto de 2010.

 

Acompanhe parte da trajetória Política do Empresário Ibraim no Blog: http://amigosdoibraim.wordpress.com/      Neste Blog foi documentado o Dia a Dia da Campanha eleitoral de 2010 do Então Candidato Ibraim.

 

Veja mapa com 4,5 mil vagas de emprego na Grande São Paulo

Bairro de Alphaville na cidade de Barueri Região Metropolitana da Grande São Paulo Foto de Junior Holanda em 25.11.2012 às 19:45 – Copyright © Jr Holanda-Barueri. All rights reserved. REPRODUÇÃO PROIBIDA SEM AUTORIZAÇÃO DO AUTOR – ® Todos os direitos reservados.

Vagas são oferecidas pelo Centro de Solidariedade ao Trabalhador. G1 traz tabela dividida por cargos operacionais, administrativos e técnicos.

Do G1, em São Paulo

A região metropolitana de São Paulo tem o total de 4.534 vagas abertas nesta semana, sendo 9 para deficientes, oferecidas pelo Centro de Solidariedade ao Trabalhador (CST), centro de intermediação de mão-de-obra localizado na cidade de São Paulo.

Um subtotal de 4.227 vagas se destina a candidatos que tenham fácil acesso ou residam perto do local de trabalho, uma preferência dos empregadores – veja na tabela abaixo a relação de todos os cargos por áreas (operacional, administrativa e técnica), os requisitos exigidos e os salários mínimos e máximos em cada função.

Mapa de empregos de SP 21-11 (Foto: Arte/G1)

Existem ainda 298 chances para candidatos da Grande São Paulo (Guarulhos, Osasco e cidades do ABC).

Não há um prazo para inscrição. A seleção é feita até o preenchimento das vagas. Por isso, é recomendado que os candidatos compareçam às unidades do CST o quanto antes.

De acordo com o Centro de Solidariedade ao Trabalhador, as vagas da área administrativa são preenchidas mais rapidamente que as demais devido à grande procura.

Centro O Centro oferece 2.233 oportunidades, sendo que os cargos com maior número de vagas são para operador de telemarketing (849), operador de cobrança (300) e atendente (26).
Há também 9 vagas para garçom (média de R$ 800) e 8 para operador de caixa (R$ 920).
Zona Oeste Na Zona Oeste são 749 vagas, sendo que os cargos com maior número de vagas são de auxiliar de limpeza (48), operador de caixa (22) e fiscal de loja (16).

Há ainda 17 vagas para vigilante (média de R$ 1.100), 5 para vendedor (R$ 1.061), 2 para armador de ferragens (R$1.500) e 2 para torneiro mecânico (a combinar).
Zona Sul Na Zona Sul são 726 vagas, sendo que os cargos com maior número de vagas são para atendente (89), auxiliar de linha de produção (13) e cozinheiro (11).

Há ainda 20 vagas para motorista em geral (R$ 1.500), 11 para garçom (entre R$ 740 e R$ 1.200), 2 para técnico de enfermagem (R$ 900) e 1 para ajudante de eletricista (R$ 933).
Zona Norte Na Zona Norte são 288 vagas, sendo que os cargos com maior número de vagas são de conferente de mercadorias (71), atendente de lanchonete (43) e auxiliar de linha de produção (11).
Há também 8 vagas para repositor de mercadorias (R$ 852),  2 para vigia (R$ 1367), 1 para torneiro CNC (R$ 850) e 1 para pedreiro (R$ 1.500).
Zona Leste Na Zona Leste são 231 vagas, sendo que os cargos com maior número de vagas são de empacotador (13), auxiliar de limpeza (6) e cozinheiro de restaurante (6).
Há ainda 11 vagas para operador de caixa (entre R$ 705 e R$ 728), 4 para garçom (R$ 880), 4 para pedreiro (R$ 1.150) e 3 para auxiliar de linha de produção (R$ 702).
Para ler mais notícias de Concursos e Emprego, clique em g1.globo.com/concursos-e-emprego. Siga também Concursos e Emprego no Twitter e por RSS.

Regiões Cargos operacionais Cargos administrativos Cargos técnicos
Centro – Operador de telemarketing (849 vagas) Requisitos: ensino médio completo e incompleto (não é necessário ter experiência)
Salário: média de R$ 630
– Auxiliar de limpeza (24 vagas)
Requisitos:
ensino fundamental completo ou incompleto (para 12 vagas não é necessário ter  experiência)
Salário: entre R$ 690 e R$ 870
– Atendente (26 vagas)
Requisitos:
ensino médio incompleto (necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 690 e R$ 830
– Operador de cobrança (300 vagas)
Requisitos:
ensino médio completo (necessário ter experiência)
Salário: média de R$ 622
– Recepcionista (7 vagas)
Requisitos:
ensino fundamental ou médio completo (para 2 vagas não é necessário ter experiência)
Salário: R$ 870
– Estoquista (3 vagas)
Requisitos:
ensino fundamental ou médio completo (necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 715 e R$ 887
– Eletricista (2 vagas)
Requisitos: ensino fundamental completo (necessário ter experiência)
Salário: R$ 1.200
– Técnico eletrônico (2 vagas)
Requisitos:
ensino médio completo (necessário ter experiência)
Salário: R$ 1.200
– Pedreiro (1 vaga)
Requisitos:
ensino fundamental completo (necessário ter experiência)
Salário: a combinar
Zona Oeste – Auxiliar de limpeza (48 vagas)
Requisitos: ensino fundamental completo e incompleto (para 11 vagas não é necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 622 e R$ 873
– Fiscal de loja (16 vagas)
Requisitos:
ensino médio incompleto (necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 690 e R$ 772
– Operador de caixa (22 vagas)
Requisitos:
ensino fundamental ou médio completo (para 4 vagas não é necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 731 e R$ 853
– Auxiliar de escritório (2 vagas)
Requisitos: ensino médio completo (necessário ter experiência)
Salário: R$ 900
– Auxiliar de estoque (7 vagas)
Requisitos:
ensino médio incompleto (para 5 vagas não é necessário ter experiência)
Salário: R$ 690
– Pedreiro (8 vagas)
Requisitos: ensino fundamental ou médio incompleto (necessário ter experiência)
Salário: a combinar
– Auxiliar de manutenção predial (5 vagas)
Requisitos:
ensino fundamental completo (necessário ter experiência)
Salário:
R$ 922
– Eletricista (7 vagas)
Requisitos: ensino fundamental ou médio incompleto (necessário ter experiência)
Salário: média de R$ 1.100
Zona Sul – Atendente (89 vagas)
Requisitos:
ensino médio incompleto (necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 680 e R$ 1 mil
– Cozinheiro (11 vagas)
Requisitos: ensino fundamental ou médio completo (necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 800 e R$ 1.200
– Oficial de serviços gerais (9 vagas)
Requisitos:
ensino médio incompleto (necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 700 e R$ 1 mil
– Assistente administrativo (2 vagas)
Requisitos:
ensino médio completo (necessário ter experiência)
Salário:R$ 1.420
– Assistente de controladoria fiscal (1 vaga)
Requisitos:
ensino médio completo (necessário ter experiência)
Salário: R$ 1.500
– Controlador de orçamento (1 vaga)
Requisitos:
ensino médio completo (necessário ter experiência)
Salário: a combinar
– Auxiliar de linha de produção (13 vagas)
Requisitos: ensino fundamental completo (necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 750 e R$ 800
– Serralheiro (9 vagas)
Requisitos: ensino fundamental ou médio completo (necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 800 e R$ 1.200
– Auxiliar de manutenção predial (4 vagas)

Requisitos: ensino fundamental completo (necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 670 e R$ 1.200
Zona Norte – Atendente de lanchonete (43 vagas)
Requisitos: ensino fundamental ou médio completo (necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 653 e R$ 850
– Ajudante de carga e descarga (9 vagas)
Requisitos:
ensino fundamental completo ou incompleto (não é necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 650 e R$ 830
– Conferente de mercadorias (71 vagas)
Requisitos:
ensino fundamnetal completo ou médio incompleto (não é necessário ter experiência)
Salário: R$ 980
Não há – Auxiliar de linha de produção (11 vagas)
Requisitos: ensino fundamental ou médio completo (necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 700 e R$ 814
– Serralheiro (9 vagas)
Requisitos:
ensino fundamental incompleto (não é necessário ter experiência)
Salário: R$ 1 mil
– Costureira (6 vagas)
Requisitos:
ensino fundamental completo (necessário ter experiência)
Salário: entre R$ 800 e R$ 900
Zona Leste – Auxiliar de limpeza (6 vagas)
Requisitos:
ensino médio completo (não é necessário ter experiência)
Salário:
entre R$ 740 e R$ 1 mil
– Cozinheiro de restaurante (6 vagas)
Requisitos:
ensino fundamental  incompleto ou médio completo (não é necessário ter experiência)
Salário:
média de R$ 622
– Empacotador (13 vagas)
Requisitos:
ensino fundamental  incompleto (necessário ter experiência)
Salário:
média de R$ 800
Não há – Eletricista (1 vaga) Requisitos: ensino médio completo (necessário ter experiência) Salário: R$ 1.500
– Costureira (3 vagas)
Requisitos:
ensino fundamental completo ou médio incompleto (necessário ter experiência)
Salário: R$ 933
– Serralheiro(3 vagas)
Requisitos:
ensino fudamental incompleto (necessário ter experiência)
Salário: R$ 1.278

Como se candidatar Os interessados nas vagas do Centro de Solidariedade ao Trabalhador devem comparecer aos endereços abaixo com carteira profissional, RG, CPF, certificado de escolaridade e currículo.

Centro de Solidariedade ao Trabalhador de São Paulo
Região central
Rua Galvão Bueno, 782 – Liberdade
Zona Sul
Rua Barão do Rio Branco, 864 – Santo Amaro
Estrada de Itapecerica, 3.770
Zona Norte
Avenida Cabo Adão Pereira, 387 – Pirituba
O horário de atendimento é das 7h às 16h, de segunda a sexta-feira

Presidente ‘mais pobre do mundo’ dirige um fusca e doa 90% do salário

José Mujica, do Uruguai, leva uma vida de pouco luxo, muito diferente do que se poderia se esperar de um chefe de estado

José Mujica, presidente do Uruguai, com seu fusca 87 (Foto: Reprodução)

José Mujica, presidente do Uruguai, com seu fusca 87 (Foto: Reprodução)

Aos 77 anos, o uruguaio José Mujica, presidente do Uruguai, é um ex-guerrilheiro tupamaro que passou 14 anos preso, a maioria durante a ditadura uruguaia (1973-1985). Ele vive em uma pequena chácara nos arredores de Montevidéu junto com sua esposa, a senadora Lucía Topolansky. Ali cultiva flores e hortaliças que vende nos mercados locais.

Quando não está realizando trabalhos oficiais, o chefe de Estado faz questão de dirigir o seu próprio carro, um fusca azul, de 1987, avaliado em pouco mais de US$ 1.000. Mujica dispensa empregados. Faz suas próprias compras no bairro onde vive e frequentemente é visto em restaurantes populares com seus colaboradores no entorno da sede do Governo, no centro de da capital uruguaia.

Seu salário, de US$ 12,5 mil mensais, não fica todo com ele. O presidente uruguaio fica com US$ 1.250 e doa 90% para a construção de casas populares. Segundo sua última declaração de renda, de abril passado, seu patrimônio e o de sua esposa somam cerca de US$ 212 mil. Eles possuem três terrenos, três tratores e dois carros de 1987.”Se tenho poucas coisas, preciso de pouco para sustentá-las”, disse recentemente em uma à BBC.

Por conta dessa vida frugal, Mujica é considerado ‘o presidente mais pobre do mundo’. E agora é inspiração para um novo perfume. Martín Sastre pretende criar uma fragância com as flores que Mujica cultiva em sua chácara. Segundo o artista, as flores do presidente uruguaio guardam “a essência do autêntico luxo”.

A ideia ainda não recebeu o sinal verde do presidente. Mas já tem até nome, “U from Uruguay”, e anúncio publicitário. Sastre, artista audiovisual e diretor de cinema nascido em Montevidéu em 1976 e que mora em Madri, disse reconhecer Mujica como “ícone global por causa de sua filosofia de vida”, por isso a intenção de criar o perfume.

Se o projeto for concretizado, a fragrância de “Pepe” (como o presidente é popularmente conhecido) seria vendida através de fundações públicas para arrecadar dinheiro e criar um fundo de fomento da produção artística.


Siga Época NEGÓCIOSnas redes sociais

Twitter           Facebook          Google Plus

 

Paulistano pretende gastar mais de R$ 600 com presentes de Natal

MICHELE OLIVEIRA DE SÃO PAULO

Melhor de sãopaulo - ComprasO paulistano promete ser generoso nas compras deste Natal. Quase 80% pretendem gastar com presentes para amigos e parentes, índice praticamente igual entre as classes A, B e C. Além disso, cada um planeja desembolsar, em média, um total de R$ 623,20 –valor 23% superior ao indicado no fim do ano passado.

Os dados animadores para o comércio estão na pesquisa Datafolha sobre hábitos de consumo dos moradores da cidade. Realizado nos dias 31 de outubro e 1º de novembro, o levantamento ouviu 427 pessoas das classes A, B e C, com 16 anos ou mais. A margem de erro é de cinco pontos, para mais ou para menos.

 

Chama a atenção a empolgação natalina ser generalizada entre as classes sociais. Na classe A, 76% dizem que vão comprar presentes. Nas classes B e C, os percentuais são, respectivamente, de 78% e 76%.

“Existe um grau de expectativa econômica positiva em relação aos anos anteriores, principalmente quando vemos o valor médio que cada um pretende gastar”, diz Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha.

Segundo ele, o resultado da pesquisa é uma “constatação objetiva de que há um crescimento do poder aquisitivo percebido pelo paulistano”.

Sobre a intenção de compras ser alta entre as três classes sociais, Paulino avalia que isso ocorre porque o consumo subiu mais na classe C, o que está impulsionando as compras deste fim de ano.

Embora os três estratos tenham expectativas semelhantes, eles divergem, porém, em dois itens: valor que cogitam gastar e comparação com o ano passado. Em relação ao Natal de 2011, 71% dos paulistanos da classe A planejam comprar a mesma quantidade de regalos.

Na classe B, 44% dão a mesma resposta e 26% afirmam que comprarão mais do que ano passado –13 pontos a mais do que a classe A.

Entre a classe C, a cautela é maior: 36% dizem que vão comprar menos, o maior percentual entre as três classes (28% na classe B; 16% na A). A maioria da classe C, 44%, pretende comprar a mesma quantidade que há um ano.

Sobre valores que desejam gastar, as intenções acompanham os bolsos –ou seja, quem tem renda maior planeja gastar mais dinheiro.

Sendo assim, o paulistano que pertence à classe A pretende desembolsar média de R$ 1.110 para comprar presentes neste fim de ano. Na classe B, a média baixa para R$ 734. Já na faixa dos que fazem parte da classe C, esse total cai, embora ainda seja alto: R$ 404.

Na hora de pagar, a maioria, 56%, afirma que irá usar cartão de crédito ou débito, índice que sobe para 80% entre os mais ricos. Em segundo lugar, vem o dinheiro, citado como meio de pagamento por 42%. Entre os mais velhos e a classe C, esse percentual atinge 58%.

OS MELHORES SHOPPINGS

Os paulistanos também responderam ao Datafolha qual é o melhor shopping da cidade. O resultado trouxe seis estabelecimentos, de quatro regiões, empatados tecnicamente em primeiro lugar: Aricanduva, Morumbi, Iguatemi, Ibirapuera, Center Norte e Metrô Tatuapé. A pergunta foi feita de forma espontânea, quando nenhum nome é apresentado ao entrevistado.

Na hora de escolher um shopping para fazer compras, a maioria dos paulistanos considera mais importante, nesta ordem, a variedade de lojas (20%) e os preços baixos (13%).

Entre a classe A, o quesito variedade importa muito mais, tendo sido citado por 37%. Depois, preços baixos empatam com facilidade para estacionar, ambos com 10%.

Já para a classe C, os preços baixos são o mais relevante, com 18%.

De forma geral, 82% dos paulistanos costumam ir a shoppings em busca de diversão, número que supera em 11 pontos percentuais o grupo que costuma ir exclusivamente para compras. Entre os que procuram lazer, 20% têm o hábito de ir ao shopping uma vez por mês.

Os mais jovens (94%) e a classe A (93%) são os que mais procuram shoppings para se divertir. Entre os que têm o hábito de ir só para comprar, há grande variação entre as classes: 90% costumam fazer isso na classe A, ante 61% entre a classe C.

CLICANDO E COMPRANDO

Tipo de comércio que só aumenta entre os brasileiros, a compra pela internet ainda tem muito espaço para crescer entre os paulistanos, principalmente entre os mais velhos, os menos escolarizados e a classe C.

Apesar de 72% terem acesso à internet, 45% dos paulistanos nunca fizeram compras on-line. Entre os que têm só o ensino fundamental, o percentual dispara para 87%. Já entre a tão falada classe C, 64% jamais compraram na internet.

“A confiança nesse novo modelo vai se estabelecendo com o tempo. Mas o número de pessoas que compram on-line já é bastante significativo”, avalia Paulino, do Datafolha.

Quem aderiu ao comércio pela internet se mostra fiel. Entre os que já realizaram compras dessa forma, 80% o fizeram nos últimos seis meses.

E os internautas compram de tudo: livros (36%), roupas e calçados (30%), artigos de informática (26%) e eletroeletrônicos (26%), principalmente. A média de gasto da última compra feita on-line é R$ 440,90.

Mas mesmo quem não compra pela internet costuma usar a rede para achar o melhor preço: 82% pesquisam valores, percentual que subiu 17 pontos desde o ano passado. E, assim, o paulistano vai descobrindo novas formas de gastar dinheiro.

Adriano Vizoni/Folhapress

 
A loja Geek.Etc.Br, na Bela Vista (centro de São Paulo), tem muitas opções de games e quadrinhos

O MELHOR DE SÃOPAULO COMPRAS 2012

OPÇÕES DE LOJAS E PRESENTES

 

São Paulo está mais estudiosa, rica e medrosa

 

 

São Paulo está mais estudiosa e com mais dinheiro no bolso do que quatro anos atrás. Mas também com mais medo da violência, revela o Datafolha.

Desequilíbrio entre oferta e demanda faz SP parar no tempo A cidade de São Paulo, de acordo com o Datafolha Opinião: Avanços ainda são imperceptíveis aos olhos do paulistano Medo da violência dispara entre ricos e pobres Bairros se proliferam sem amparo legal Aumenta a parcela de classe B na metrópole de SP Morador de SP vê melhora em atividade para jovem e idoso Em cidade corintiana, 20% não têm time

Na comparação com pesquisa de 2008, saltou de 16% para 20% o número de pessoas que concluíram o ensino superior. Também cresceu, de 33% para 38%, o percentual de pessoas na classe B.

Junto com essa elitização, veio a preocupação com a violência. O item pulou do sétimo lugar entre os principais problemas para os paulistanos, em 2008, para o segundo lugar, superando o item trânsito.

No topo da escala do medo estão as regiões leste (17%) e oeste (14%). Para especialistas, o aumento da sensação de insegurança está relacionado a crimes patrimoniais que ganharam repercussão, como arrastões a condomínios e a restaurantes.

Já a elevação do grau de instrução pode estar ligada ao acesso das classes C e D à universidade. Mas o principal problema continua sendo asfalto e calçadas ruins. De 13% em 2008, pulou agora para 18%.

Fuvest começa amanhã com mais de 159 mil candidatos inscritos

O Estado de S.Paulo

Mais de 159 mil estudantes participam amanhã da primeira fase da Fuvest, que neste ano selecionará 10.982 alunos para a Universidade de São Paulo (USP) e outros 100 para o curso de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Também farão a prova 21,5 mil treineiros, que não vão terminar o ensino médio neste ano e, portanto, não concorrem às vagas.

Veja também: link VÍDEO: Professores indicam o que deve cair na prova link Enade será aplicado para 587 mil universitários

Prova terá duração de 5 horas, com 90 questões  - Jose Patricio/Estadão - 10/01/2011
Jose Patricio/Estadão – 10/01/2011
Prova terá duração de 5 horas, com 90 questões

 

O Estadão.edu terá correção ao vivo da prova a partir das 18h45. Professores do Cursinho da Poli farão a análise das questões no estúdio da TV Estadão. Leitores poderão enviar perguntas pelo Facebook e pelo Twitter (@EstadaoEdu), sempre acompanhadas da hashtag #EduFuvest.

O exame, que começa às 13h, terá 5 horas de duração. Os alunos terão de responder a 90 questões de múltipla escolha sobre todas as disciplinas do ensino médio. Os portões das escolas serão abertos às 12h30 e a Fuvest promete divulgar o gabarito da prova por volta de 19h30.

Será necessário levar documento original de identidade (com foto), caneta esferográfica (com tinta azul ou preta), lápis n.º 2 e borracha. Água e alimentos leves são permitidos. O candidato não poderá utilizar ou manipular, em nenhuma área do prédio, celulares ou qualquer outro equipamento eletrônico ou de telecomunicação.

A Fuvest recomenda que cada candidato visite o local em que fará o exame com antecedência. Hoje, a partir das 11h, a lista com os nomes dos candidatos estará na entrada de cada local de prova.

A relação dos aprovados para a segunda fase será divulgada no dia 17 de dezembro e as provas serão aplicadas de 6 a 8 de janeiro. A lista dos aprovados estará disponível no dia 2 de fevereiro.

O número de inscritos neste ano aumentou 8% em relação à edição passada, quando o processo seletivo teve 146.892 candidatos. Além disso, Medicina voltou a ser o curso mais concorrido, com 56,43 candidatos para cada uma das 275 vagas. No ano passado, a carreira mais disputada foi a de Engenharia Civil no câmpus da USP em São Carlos.

Fotos Noturnas em HD do Bairro de Alphaville na Cidade de Barueri-SP – Imagens de Junior Holanda

Copyright © Jr Holanda-Barueri. All rights reserved. REPRODUÇÃO PROIBIDA SEM AUTORIZAÇÃO DO AUTOR – ® Todos os direitos reservados.

 

Copyright © Jr Holanda-Barueri. All rights reserved. REPRODUÇÃO PROIBIDA SEM AUTORIZAÇÃO DO AUTOR – ® Todos os direitos reservados.

 

Clique nas fotos e veja imagem em tamanho real e HD.

 

Alphaville Barueri São Paulo – Fotos de Junior Holanda

Alphaville Final de Tarde na Alameda Madeira em 17.11.2012. Copyright © Jr Holanda-Barueri. All rights reserved. REPRODUÇÃO PROIBIDA SEM AUTORIZAÇÃO DO AUTOR – ® Todos os direitos reservados.

 

Alphaville Final de Tarde na Alameda Madeira em 17.11.2012. Copyright © Jr Holanda-Barueri. All rights reserved. REPRODUÇÃO PROIBIDA SEM AUTORIZAÇÃO DO AUTOR – ® Todos os direitos reservados.

 

Alphaville Final de Tarde na Alameda Madeira em 17.11.2012. Copyright © Jr Holanda-Barueri. All rights reserved. REPRODUÇÃO PROIBIDA SEM AUTORIZAÇÃO DO AUTOR – ® Todos os direitos reservados.

Clique na Imagem e Veja em Tamanho Real e em HD.

 

 

 

3º Fórum Regional de Barueri, Presença Governador Geraldo Alckmin e Prefeito eleito de Barueri Gil Arantes 2013-2016

Bairro de Alphaville na cidade de Barueri/SP – Foto de Junior Holanda Nov/2012 – Clique na imagem e veja em tamanho original e HD

 

O LIDE – Grupo de Líderes Empresariais, presidido por João Doria Jr., realiza em 1° dezembro de 2012 a terceira edição do FÓRUM REGIONAL DE BARUERI. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin;  o prefeito de Barueri, Rubens Furlan,  e o Prefeito Eleito GIL ARANTES farão a abertura do encontro que reunirá cerca 400 líderes empresariais e autoridades políticas do País, na Câmara Municipal de Barueri.

Saiba mais informações visite o site: http://www.forumbarueri.com.br/default.asp

Presença do Médico e Governador do Estado de São Paulo Dr. Geraldo Alckmin(PSDB Paulista).

 

Prefeito eleito de Barueri Gil Arantes 2013-2016(DEM Paulista).